quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo Amigos!


E ku odun, e hu iye’ dun!m (Yoruba)
Glückliches Neues Jahr
Nytar
Feliz Año Nuevo
Felicigan Novan Jaron
Heureuse Nouvelle Année
Feliz Aninovo
Shaná Tová
Happy New Year
Felice Nuovo Anno
Akemashite Omedetou Gozaimasu

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Coletivo AfroCaeté e Maracatu Nação A Corte de Airá


Domingo, dia 20 de dezembro, 16h, o Coletivo AfroCaeté se juntará ao Maracatu Nação A Corte de Airá em cortejo para homenagear a Iyêmonjá. O cortejo sairá do Palácio de Airá em direção ao mar de Cruz das Almas.

Cortejo em homenagem a Iyêmonjá
Dia: 20 de Dezembro
Horário: 16h
Local de saída: Palácio de Airá - Sítio São Jorge

Coco, ciranda e maracatu no Quintal Cultural



Sábado, dia 19 de dezembro, às 19:30, o Coletivo AfroCaeté e a Poesia Musicada no Pandeiro, de Fagner e Rogério Dias, farão batucada de confraternização no Quintal Cultural. Apareça. Traga seu AXÉ!
Dia: 19/ 12/2009
Horário: 19h:30min.
Local: Quintal Cultural - Rua Sol Nascente, 183, Bom Parto (próximo ao UNICOMPRA CAMBONA)
Contato: 8845.7684/8801.4265

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

NATAL DA PAZ


A Associação dos Folguedos Populares da Zona Sul promove a partir desta sexta-feira, dia 4, o Natal da Paz 2009. A festa começa com as apresentações do Baianá Virgem dos Pobres, tendo como mestra Maria José. Em seguida é a vez do Coletivo AfroCaeté e do Maracatu Nação A Corte de Airá, com o mestre Sandro Santana encabeçando a percussão. No dia 18, o evento traz a Orquestra de Tambores, comandada pelo músico Wilson Santos, e a Banda Filarmônica da Igreja São Pedro. As apresentação do Natal da Paz prosseguem nos dias 24, 25 e 31 deste mês, sempre a partir das oito da noite, na avenida Silvestre Péricles, no Vergel do Lago, em frente a Guarda Municipal no Coreto Cultural. Mais informações pelo telefone 8821-8086.

sábado, 12 de dezembro de 2009

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Matéria sobre os 02 Anos de Mirante Cultural do Jacintinho


Reportagem exibida na TV Gazeta sobre os dois anos de atividade do Mirante Cultural do Jacintinho sob o som do Coletivo AfroCaeté e Maracatu Corte de Airá.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Um Canteiro de Cultura


No dia 4 de dezembro, às 18:30, o Coletivo Afro-Caeté, a Orquestra de Tambores de Alagoas e o Baianá Virgem dos Pobres farão apresentação no canteiro central da Avenida Silvestre Péricles, próximo a Guarda Municipal e ao conjunto Joaquim Leão, Ponta Grossa. A apresentação é uma iniciativa do Núcleo de Cultura da Zona Sul – Mestre Biu.

sábado, 21 de novembro de 2009

AfroCaeté se apresenta no dia da Consciência Negra em Viçosa - Alagoas


A sexta-feira, 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, foi marcada em Viçosa de Alagoas por uma programação voltada para homenagear o guerreiro Zumbi dos Palmares, que se refugiou nestas terras. A cidade tem fortes raízes negras e neste sábado, 21, recebe o reconhecimento de duas comunidades quilombolas, o Gurgumba e o Sabalangá.
A comunidade participou ativamente das diversas atividades, que tiveram início com a Trilha Zumbi, saindo da prefeitura em direção a Serra Dois Irmãos, onde Zumbi foi morto.
Crianças, adultos e idosos subiram e desceram a Serra Dois Irmãos ao som dos tambores da Banda Afro Gurgumba. O grupo de capoeira do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil também acompanhou o grupo jogou capoeira nas terras que foram refúgio do guerreiro Zumbi.
Kaique Jorge, 15 anos, é integrante do grupo de capoeira pela primeira vez ele teve oportunidade de visitar. A equipe Bacurau, formada por historiador, guia e batedor, responsável por guiar a equipe até o cenário espetacular, ressaltaram que a programação é muito importante nesta data para reafirmar a história negra de Viçosa e a passagem do líder do Quilombo pelo município.
A programação continuou durante a tarde na Escola Estadual Coronel José Aprígio Vilela com oficinas de penteado afro, dança afro e berimbau. Acontecem, neste momento, as apresentações culturais das Banda Afro Gurgumba, Dança de Rua São José, Grupo Afro Primitivo Sabalangá e Capoeira Arte Ligeira-Peti. Além do lançamento do DVD “Quilombos de Viçosa” e da apresentação do Coletivo AfroCaeté, às 20h.
Fonte: www.tribunadosertao.com.br/noticias.asp?id=9702

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Cultura Negra em Arapiraca!




No mês dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira o Coletivo Afro-Caeté, o Afoxé Odô Iyá e a Orquestra de Tambores de Alagoas farão apresentação para celebrar a imortalidade de Zumbi dos Palmares.

Dia: 28 de novembro
Local: Praça Ceci Cunha, Centro de Arapiraca - Alagoas

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Sou do Povo, Sou a Festa - DVD da Festa da Lavadeira


O Coletivo Afro-Caeté foi honrosamente presenteado esta semana com 20 cópias do DVD "Sou do Povo, Sou a Festa", um belo registro dos quase 30 anos de Festa da Lavadeira.
Como nem tudo são são flores, como diria Eduardo Melo, organizador do evento " a intolerância é grande meu irmão", o video demonstra a luta que é garantir a Festa que anualmente, a revelia dos interesses dos especuladores imobiliários na mesma região, consegue aglutinar 70 mil pessoas para celebrar a grande diversidade cultural existente no nordeste durante todo o dia 1° de maio na Praia do Paiva em Cabo de Santo Agostinho-PE.
Em breve estaremos distribuindo os DVD's com todos os nossos amigos de luta e fé por melhores dias nas Alagoas.
Quem tiver interesse em ter mais informações sobre o documentário "Sou do Povo, Sou a Festa", é só comunicar através do email: lavalava@hotlink.com.br

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Coletivo AfroCaeté fará apresentação na abertura do FEMUfal



A abertura do I Femufal será no dia 12 de novembro, às 14h30, em uma tenda cultural que será montada ao lado da Biblioteca Central, no Campus A.C. Simões, com uma mesarredonda sobre o tema "História dos festivais universitários em Alagoas". Após a mesa, será lançado o LP em CD do Festival de 1981.
A mesarredonda contará com as presenças de Paulo Poeta, Edson Bezerra, Sávio de Almeida e Ênio Lins. À noite, às 18h, o show do Rapper GOG promete atrair muitas pessoas ao Posto 7, na Jatiúca. GOG vai iniciar em Maceió sua primeira turnê pelo Nordeste lançando o mais novo DVD ao vivo “Cartão Postal Bomba”.
A Universidade Federal de Alagoas, visando promover o resgate dos antigos festivais universitários, realiza no período de 12 a 14 de novembro o primeiro Festival de Música. O festival foi idealizado pela Pró-reitoria Estudantil, através da Coordenação de Política Estudantil, visando o fortalecimento da produção artístico-musical dos três segmentos que compõem a comunidade acadêmica: estudante, professor e técnico.
O I Festival de Música da Universidade Federal de Alagoas (Femufal) constitui-se num evento acadêmico-universitário que pretende revelar e dar publicidade à produção artística e às habilidades culturais dos estudantes, professores e funcionários no campo da música. Visa, também, proporcionar à Comunidade Acadêmica momentos de riqueza cultural fazendo da música um elemento de encontro e integração daqueles que fazem a Universidade Federal de Alagoas. Para isso, tem, para sua realização, a parceria da Prefeitura Municipal de Maceió, através da Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC), que entra com toda a estrutura do evento e o prestígio e consolidação do Projeto Maceió Viva Cultura, que acontece quinzenalmente no posto 7, Jatiúca. (http://www.ufal.edu.br/ufal/noticias/2009/11/divulgadas-as-musicas-selecionadas-para-o-festival-de-musica-da-ufal)
Coletivo AfroCaeté na Abertura do FEMUfal
Data: 12 de novembro
Local: Praça Central da UFAL
Horário:16:30

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

RODA ABERTA DE DIÁLOGO SOBRE CULTURA AFRO E DIVERSIDADE RELIGIOSA COM O BABALORIXÁ CÉLIO RODRIGUES


Coletivo Afro-Caeté promove Roda Aberta de diálogo sobre Cultura Afro e Diversidade Religiosa com o Babalorixá Célio Rodrigues, sábado, dia 7 de novembro, às 13h. A roda de diálogo acontecerá no Ilê Axé Iyá Ogun-té, a Casa de Iemanjá, na Ponta da Terra.

Pai Célio de Ogun-Té (Omintology) é Formado em História, pela Faculdade de Filosofia e Letras de Maceió - FAFIMA, Instituição essa em que leciona até hoje, cursou Pedagogia e Ciências Sociais na Universidade Federal de Alagoas- UFAL, é membro do Fórum Permanente Educação e Diversidade Étnico Racial do Estado, concluiu o curso de História da África, promovido pela Universidade Federal de alagoas e é participante do Movimento Negro Estadual.

Dedicando-se à religião, Pai Célio, conseguiu transformar sua casa de axé na primeira ONG religiosa alagoana, trazendo para dentro de seu espaço atividades culturais, sociais e políticas, buscando oferecer a toda comunidade uma vida mais digna. Hoje a casa de Iemanjá é o Núcleo de Cultura Afro Brasileira Iyá Ogun-té. A ONG oferece curso de capoeira, dança afro, fundou o Primeiro Afoxé de Alagoas, o 1º Jornal Afro, promove cursos profissionalizantes, palestras, entre outros. É a Primeira Casa de Orixá em Alagoas a possuir um site dedicado à religião:

http://www.ileaxeiyaogunte.hpgvip.com.br/

Participe da roda aberta de diálogo!

Dia: 07 de Novembro
Horário: 13h
Local: Núcleo de Cultura Afro Brasileira Iyá Ogun-té/Casa de Iemanjá - Rua Dona Alzira Aguiar, 429, Ponta da Terra - Maceió/AL

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Coletivo AfroCaeté & Maracatu Nação Corte de Airá


Apresentação no encerramento do Congresso da ABRAPSO - (Associação Brasileira de Psicologia Social) na FIT's no dia 02 de novembro de 2009.

sábado, 31 de outubro de 2009

Luta pela permanência dos Pescadores em Jaraguá


Caros companheiros e companheiras

Há décadas se desenrola uma guerra desigual entre a Prefeitura de Maceió e a comunidade da Vila dos Pescadores do bairro de Jaraguá, conhecida como favela de Jaraguá. Mediante os últimos acontecimentos, em que o prefeito Cícero Almeida desrespeitosamente chamou os pescadores de vagabundos e traficantes, apresenta-se como necessária a união de forças para defender trabalhadores que possuem ligação direta com a história e cultura da cidade de Maceió.

O prefeito Cícero Almeida tem a intenção de remover os pescadores do local em que se encontram para realizar a construção de uma Marina em Jaraguá. Não podemos permitir que mais uma vez importantes agentes da Cultura e da História de nossa cidade, os pescadores da comunidade, sejam agredidos e colocados de lado para atender ao luxo de uma elite alagoana descomprometida com o povo. Os pescadores de Jaraguá já declararam que permanecerão no local e necessitam da ajuda de todos nessa batalha. O Prefeito prometeu usar a polícia para tirar os pescadores de Jaraguá usando a força. Isto é violência.


Diga não à violência!
Participe dessa luta!

Maria Enaura
Líder comunitária
Associação da Vila de Pescadores – AMAJAR

Coletivo AfroCaeté se apresenta e coordena mesa de discussão sobre cultura alagoana no XV Encontro Nacional da ABRAPSO


XV ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICOLOGIA SOCIAL (ABRAPSO)
MACEIÓ – 30 de outubro a 02 de novembro de 2009
http://www.abrapso.ufba.br/

A ABRAPSO é uma associação sem fins lucrativos, fundada Rio de Janeiro, em julho de 1980. Fruto de um posicionamento crítico na Psicologia Social, desde a sua criação, a ABRAPSO tem sido importante espaço para o intercâmbio entre estudantes de graduação e de pós-graduação, profissionais, docentes e pesquisadores.
Os Encontros Nacionais e Regionais da entidade têm atraído um número cada vez maior de estudiosos da Psicologia e possibilitam visualizar os problemas sociais que a realidade brasileira tem apresentado à Psicologia Social. O veículo de divulgação científica da entidade é a revista Psicologia & Sociedade.


Local:
Faculdade Integrada Tiradentes – FITs
Campus Amélia Maria Uchoa
Av. Comendador Gustavo Paiva 5017, Cruz das Almas – Maceió – AL
http://www.fits.edu.br/


PDMS MR148
Mesa Redonda - ARTE E CULTURA NA COMUNIDADE
Coordenação: Coletivo AfroCaeté
Horário: 16:45 - 18:30
Local: BLOCO A - SALA 15 - 1º ANDAR

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Coletivo AfroCaeté no Quilombo Jacintinho


O CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS AFRO ALAGOANO QUILOMBO está dando continuidade ao segundo ano do projeto Mirante Cultural – Um Quilombo Chamado Jacintinho em parceria com a Fundação de Ação Cultural da cidade de Maceió, Secult, Sindicato dos Urbanitários e os comerciantes do bairro do Jacintinho. Será realizado sexta-feira (30), às 19h30, no Mirante localizado no Jacintinho (por trás da rádio 96 FM).

O Mirante Cultural este mês traz uma programação especial com três maracatus dando início as festividades do mês da Consciência Negra. Discutir e debater as questões sobre a negritude deve ser feito durante todo o ano, mas no mês de novembro essas discussões se intensificam e o C.E.P.A.A Quilombo não poderia deixar de participar e homenagear todos os grandes ícones da luta quilombola mostrando nossa cultura.

O C.E.P.A.A. Quilombo continua lutando pela requalificação do Mirante com o objetivo de transformá-lo em um espaço de fomentação de cultura e lazer. Dentro dessa requalificação visa trabalhar também a mudança do nome de mirante Kátia Assunção para um ícone da luta quilombola, homenageando assim, um símbolo da resistência negra.

O Mirante Cultural continuará defendendo a integração entre educação e arte, buscando sempre impulsionar os artistas locais, trabalhando a geração de renda e valorizando a cultura popular e afro-alagoana.

PROGRAMAÇÃO:
GRUPO CULTURAL QUILOMBINHO - Capoeira, Samba de roda e Maculelê
GRUPO ANJOS DA VIDA – Dança
FAMÍLIA ZONA NORTE - hip hop
NÚCLEO DE CAPOEIRA – Capoeira
COLETIVO AFROCAETÉ – Percussão
MARACATU ABAÇÁ DE ANGOLA (Mãe Vera)
NAÇÃO MARACATU A CORTE DE AIRÁ (Pai Elias)

MIRANTE CULTURALDIA: 30/10/2009
HORA: 19h30
LOCAL: Mirante no bairro do Jacintinho (próximo a rádio 96 FM)
ENTRADA FRANCA

GRUPOS PARCEIROS DO C.E.P.A.A. QUILOMBO:
Escola de Samba Arco-Íris
Grupo de Hip Hop Fênix Negra
Núcleo de Capoeira
Grupo Lésbico Dandara
Bumba-meu-boi Excalibur
Grupo de Teatro Máscaras sobre Máscaras

Viviane Rodrigues
Relações Públicas do C.E.P.A.A. Quilombo
E-mail: vi_magnifica@hotmail.com
Contato: (82) 8843-9311

IV FÓRUM ALAGOANO DE CAPOEIRA



PROGRAMAÇÃO:

MACEIÓ
DIA 5 DE NOVEMBRO (QUINTA-FEIRA) Auditório do SEBRAE/POÇO
19h – ABERTURA - Formação da mesa e apresentação dos convidados
20h - PALESTRA DE ABERTURA: A prática da capoeira na escola - A formação escolar integrada ao saber popular (Prof. Ed. Física - Contra-Mestre Marcio Rodrigues – Projeto Capoeira na Escola – Santos /SP)

DIA 6 DE NOVEMBRO (SEXTA-FEIRA) ESPAÇO CULTURAL DA UFAL/PRAÇA SINIBÚ
8h30 – Mesa redonda - A capoeira nas escolas das cidades de Santos e de Porto Alegre (Mestre Gavião – Presidente da Federação de Capoeira do Rio grande dos Sul & Prof. Ed. Física Contra-Mestre Márcio Rodrigues – Secretaria de Educação da cidade de Santos/São Paulo).
10h30 - Oficinas de jogos de capoeira (Mestre Gavião e Contra-Mestre Márcio)
13h30 – Mesa Redonda – Capoeira nas escolas e políticas públicas (Mestre Gavião e Contra-Mestre Marcio)
15h30 - Oficinas de capoeira para escolas (Mestre Gavião / Professor Marcio)
17h30 - Roda de confraternização

UNIÃO DOS PALMARES
DIA 7 DE NOVEMBRO (SÁBADO) AUDITÓRIO DA PREFEITURA DE UNIÃO DOS PALMARES/QUADRA MUNICIPAL
8h30 – ABERTURA e PALESTRA A prática da capoeira na escola / A formação escolar integrada ao saber popular (Mestre Gavião e do Prof. Ed. Física/Contra-Mestre Márcio)
10h – OFICINA DE MACULELÊ (Mestrando Besouro – Grupo Legião Brasileira de Capoeira)
11h – OFICINA DE JOGOS NA ESCOLA - Mestre Gavião e Prof. Márcio
13h – Mesa Redonda A capoeira nas escolas e políticas públicas (Mestre Gavião e Professor Marcio Rodrigues)
15h - OFICINA DE JOGOS NA ESCOLA (Mestre Gavião e Contra-Mestre Márcio)
17h00 - Roda de capoeira com mestres e convidados

DIA 8 DE NOVEMBRO (DOMINGO) AUDITÓRIO DA PREFEITURA DE UNIÃO DOS PALMARES/QUADRA MUNICIPAL
8h – PROJETOS PARA CAPOEIRA NA ESCOLA - A capoeira nas escolas das cidades de Santos e de Porto Alegre (Mestre Gavião e Contra-Mestre Márcio)
10h – AULAS DE CAPOEIRA PARA ESCOLA - Mestre Gavião e Contra-Mestre Marcio
11:30h – OFICINA DE PERCUSSÃO (Mestrando Besouro)
12h – Roda de confraternização e encerramento

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Calendário de Apresentações do Coletivo AfroCaeté



30 de Outubro - Mirante do Jacintinho, a partir das 20hs.

02 de Novembro - Encerramento do encontro Nacional da ABRAPSO - Associação Brasileira de Psicologia Social - na FIT's, a partir das 17hs.

13 de novembro - Festival de Música da UFAL , Cidade Universitária, a partir das 17hs.

20 de novembro - Cortejo na subida da Serra da Barriga junto com representantes das religiões de matrizes Afro, em União dos Palmares a partir das 08hs.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Coletivo AfroCaeté na 11ª FEIRA CAMPONESA



FEIRA CAMPONESA
Recorde de público e produtividade reconhecida
A Feira Camponesa é um dos projetos mais importantes da Comissão Pastoral da Terra em Alagoas. Há cinco anos, o evento ressalta a importância da cultura camponesa e busca impulsionar a comercialização de produtos ecologicamente corretos e socialmente justos, ou seja, que são livres de agrotóxicos e valoriza a produção dos assentamentos da reforma agrária.
Na 10ª edição realizada em junho, cerca de 10 mil visitantes foram conferir a variedade de produtos que também tinham preços acessíveis. Ao todo, foram comercializados 134 toneladas de alimentos.
De acordo, com o assentado Pedro Rodrigues, a feira é uma oportunidade de mostrar a qualidade do que é plantado no campo e contribui para a geração de renda. “Eu fui para Maceió vender e deixei dois homens [parentes] cuidando da roça. A feira foi muito boa, vendi tudo e me arrependi de não ter levado mais!”, falou o agricultor, que comemora o sucesso do evento.
A próxima edição acontecerá nos dias 13 a 16 de outubro, mais uma vez na praça Afrânio Jorge conhecida por Praça da Faculdade, e promete superar as expectativas. O objetivo é ampliar o número de barracas para 130, e consequentemente, o número de feirantes (20 do sertão, 55 do litoral e 55 da zona da mata). Todos os anos, os agricultores passam por cursos de capacitação para melhorar o atendimento e garantir a conservação dos alimentos.
A CPT vem trabalhando para proporcionar uma maior organização da Feira Camponesa, com uma infraestrutura que preza pela organização e limpeza, composta por: praça de alimentação, banheiros químicos e um palco onde acontecem as apresentações artísticas. Além disso, o evento transforma-se em um verdadeiro centro cultural e de integração entre os trabalhadores rurais e a população da capital.

Se o campo não planta, a cidade não come! “Plantar, colher e repartir” é o lema da Feira Camponesa.
Programação:
13/10 - Terça Feira
19hs Samba Ouro
21hs Pinóquio do Acordeon
14/10 - Quarta Feira
18hs30 - Coletivo AfroCaeté
19hs30 - Gustavo Gomes, Cabrochas e Banda
21hs - Xameguinho
15/10 - Quinta Feira
18hs30 - Filme: " Maldita sejam todas as cercas"
19hs - MPBand
21hs - Trio Nó Cego
16/10 Sexta Feira
18hs30 - Filme: "Pelo Limite da Propriedade da Terra"
19hs - Guilla
20hs30 - Bingo de um Carneiro
21hs - Pinóquio do Acordeon
Assessoria de Impressa da CPT-Alagoas

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Orquestra de Tambores na 16° Edição do Viva Cultura


O Viva Cultura apresenta neste domingo, dia 04 de outubro, uma das divas de maior visibilidade no cenário musical brasileiro dos anos 60,70 e início dos anos 80, Telma Soares (Cordélia Leão), descoberta por Baden Powell e Vinicius de Moraes.

Além de Telma teremos a apresentação da Orquestra de Tambores de Alagoas e da banda Canela Seca & Os Buchos de Candunda.
Orquestra de Tambores de Alagoas: Percutir tambores repercutindo misturas. A Orquestra de Tambores de Alagoas é uma sintonia de ritmos,cores, timbres e sentimentos. Através de uma intensa pesquisa dasraízes rítmicas afro-brasileiras e das manifestações folclóricas, ogrupo apresenta um verdadeiro resgate de valores da cultura donordeste do Brasil, integrado a fragmentos da música contemporânea eefeitos sonoros experimentais.Desde 1989, o músico, artesão e coordenador da orquestra, WilsonSantos, vem pesquisando os ritmos afro-brasileiros. Porém, nos últimosdois anos, passou a direcionar suas pesquisas para a influência destesritmos nas manifestações folclóricas nordestinas.Dentro deste contexto, surgiu a Orquestra de Tambores de Alagoas, emnovembro de 2004, a partir da união de percussionistas experientes ealunos das oficinas de percussão e confecção de instrumentos,ministradas por Wilson Santos.Os instrumentos utilizados nas apresentações são confeccionadosartesanalmente pelos próprios integrantes do grupo.Além do resgate cultural, da pesquisa rítmica e musicalidade, o grupoobjetiva formar multiplicadores do processo de ensino das técnicaspercussivas e confecção de instrumentos artesanais.A orquestra conta com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado deAlagoas e atualmente, participa do Programa BNB de Cultura.

Local: Posto 7 - Jatiúca

Horário: 18:00

Data: 04.10.09

Cidade: Maceió

Complemento: Gratuito

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Audiência Pública : Alternativas de Combate a Violência



A Secretaria Municipal de Direitos Humanos, Segurança Comunitária e Cidadania está realizando no próximo Sábado, dia 26 as 15 h. no auditório da Prefeitura em Jaraguá (quase em frente a Receita Federal) uma audiência pública com o objetivo de debater com os movimentos das culturas populares (bandas de reggae, capoeiristas, grupos de hip-hop, grupos percussivos, etc., alternativas de combate a violência e, a partir das atividades destes grupos, a inserção destes movimentos em práticas comunitárias.

sábado, 12 de setembro de 2009

DIA DO ABRAÇO AO TEATRO DEODORO


Cem ANOS de Teatro Sem Teatro?

No próximo dia 15 de setembro (véspera de feriado) acontecerá o Dia do Abraço ao Teatro Deodoro, uma iniciativa do Movimento Sou Artista, LUTO!? - um grupo bem engajado de artistas que se reúne, constantemente, para discutir estratégias e melhorias pro ‘fazer artístico alagoano’. Atualmente, o debate gira em torno da reabertura do teatro Deodoro. O movimento estuda ainda soluções de acessibilidade ao local, desvio de linhas de ônibus e medidas contra violência na região. No protesto do dia 15 de setembro, o grupo quer chamar a atenção para o Teatro fechado, culminando com um abraço coletivo ao redor do Deodoro e a entrega de um documento ao governador, Teotônio Vilela Filho, exigindo uma data para reabertura. Representantes de todas as linguagens artísticas participarão do Ato, assim como todo cidadão alagoano que queira abraçar um dos maiores patrimônios arquitetônicos do Estado de Alagoas.

Programação:

10:00h - Leitura do Manifesto Sou Artista, LUTO!?

10:30h - Apresentações Artísticas

12:30h Abraço ao Teatro Deodoro

13:00h - Cortejo ao Palácio República dos Palmares

14:00h - Entrega de Documento ao Governador Teotônio Vilela Filho

Coletivo AfroCaeté (cortejo)

Roberta Aureliano (Hino de Alagoas)

Rugas de Ouro (grupo de dança da terceira idade)

Urukongo por Denis Angola (Solo de Dança Contemporânea)

Ancestral por Khalazome – (Centro de Estudos e Pesquisas Afro Alagoano Quilombo - CEPAA)

Parada na Pista – Mary Vaz (performance)

Tempo – Carapuça Cia. Teatral (performance)

Regadores - +idéias (performance)

Teatro do Oprimido - Grupo Revolucionarte

Intervenções cênicas espontâneas
Serviço:

Dia do Abraço ao Teatro Deodoro

15 de Setembro

10:00h (concentração)

Em frente ao Teatro

Apresentações artísticas, Abraço ao Teatro e Cortejo ao Palácio República dos Palmares.


Sou Artista, LUTO!? È um Movimento que visa integrar as diversas linguagens das artes em pró dos Artistas Alagoanos. Sou Artista, LUTO!? É um grito de alerta aos que aliviados com nosso silêncio - quase eterno - saibam que resolvemos SAIR DA INÉRCIA e organizadamente criar ações a favor da nossa cultura. A primeira ação será um Ato de Amor e Respeito a uma das casas de espetáculos mais importantes de Alagoas – O Teatro Deodoro. Para demonstrar este amor, de forma artística e de sublime sensibilidade, iremos abraçar o Teatro Deodoro: “Deodoro eu Te Adoro!” No dia 15 de setembro - um mês antes dos seus 99 anos, as 10:00h. Em frente ao Teatro haverá uma concentração da sociedade em geral juntamente com artistas de todas as linguagens para unir forças a este Ato. Vestidos de figurino e/ou traje comum acrescido de uma faixa preta no braço. Iremos demonstrar nossa insatisfação com a falta de respostas e compromisso com esse Monumento Histórico de nosso Estado.

Assinam,
Os artistas alagoanos.

+inf. 8803-1535/9950-8765 (David Farias)

domingo, 16 de agosto de 2009

Cultura Afro na Praça dos Palmares - Maceió‏



Sexta Feira, 4 de Setembro, 14 às 17h, na Praça dos Palmares, em Maceió

Dança Afro Aganju, Orquestra de Tambores de Alagoas, Maracatu Abaçá de Angola Oyá Balé e Coletivo AfroCaeté e mais Roda Aberta de Capoeira com o grupo Águia Negra abrindo o 2º Encontro de Capoeira Águia Negra em Maceió.

Sábado, 5 de Setembro, no Cenarte (Próximo as Praças dos Palmares e Zumbi)

Oficina de Percussão, com Wilson Santos – 10 às 12h
Roda e Batizado do Grupo Águia Negra – 14 às 17h

Domingo, 6 de Setembro, em Marechal Deodoro (AL)

Confraternização e roda de capoeira na sede do Águia Negra encerrando o evento


Coordenação: Mestre Rimem
Organização: Professor Denis Angola e Monitora Sirlene
Contato: 8858-6771

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

I BomBa Periférica no Quintal Cultural



O evento será realizado no Quintal Cultural, Rua Sol Nascente, Bom Parto (Próximo ao Unicompra - Cambona). A partir das 16h. Com Mostra de Graffite & Break (Graffiteiros: Rodrigo e Ras Putin); Palestra sobre o Movimento Hip Hop e Apresentações de Grupos de Rap. PARCERIAS: Quintal Cultural, Guerreiros da Vila, Coletivo de Artistas, InBolada Record (Recife-PE), Coletivo AfroCaeté, Tv Assembléia/Alagoas de Arte & Cultura e Movimento Hip Hop Organizado de Alagoas. ORGANIZAÇÃO: Associação Alagoana de Hip Hop Guerreiros Quilombolas & Gabriella Cosme Mais informações: 9142-2503 /8811-5172

terça-feira, 7 de julho de 2009

O Cordel do João Boneco


O Coletivo está apoiando o lançamento do “O Cordel do João Boneco”, do professor e cordelista Kriko. O lançamento será no dia 9 de julho, quinta-feira, às 19h, no Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore (Av. da Paz). Ele também irá expor seus bonecos de papel marchê. A exposição O Cordel do João Boneco ficará aberta ao público, gratuitamente, até o próximo dia 30. Os cordéis poderão ser comprados na loja do Museu Théo Brandão, na qual também podem ser encontradas obras de outros cordelistas alagoanos.


terça-feira, 16 de junho de 2009

Batuque no Terreiro Ilê Axé de Oxum Panda


O Coletivo AfroCaeté apóia a realização Feijoada em prol da reforma do terreiro Ilê Axé de Oxum Panda, de Mãe Rosa, que acontecerá no dia 19 de julho, a partir das 10h, na rua Divaldo Suruagy, n° 55, Village Campestre 2.

Programação:

10h – Saudação a Oxum (Orixá da casa);

10:30 – Toque dos Ogans e músicas aos Orixás;

11h – Exibição do filme 1912: O Quebra de Xangô em Alagoas, com a presença do Diretor Siloé Amorim;

14h – Músicas e danças Afro-Religiosas com a presença de Mãe Vera (Orquestra de Tambores) e o Terreiro Abaçá de Angola;

15h – Roda Aberta de Capoeira com a presença de membros dos grupos Águia Negra, Tradição, Liberdade, Muzenza e Abadá;

15:30 – Samba de roda;

16h – Feijoada de Preto Velho;

17h – Afoxé Odô Iyá (Casa de Iemanjá/Núcleo de Cultura Afro-Brasileiro Iyá Ogun-Té;

17:30 – Poesia Musicada no Pandeiro de Rogério Dias & Fagner Dübrown (Quintal Cultural) e a Arca da Cultura Popular de Demis Santana

18h – Batuque com a presença do Coletivo AfroCaeté, de Dalmo Baiano, Sandro Santana e Wilson Santos (Orquestra de Tambores), de Aninha, Isabel e Nany Moreno (afoxés Oju Omim Omorewá e Odô Iyá)

Durante o evento haverá exposição de fotografia digital de rituais no terreiro Ilê Axé de Oxum Panda.

Colaboração*: R$ 5,00

* A colaboração e a arrecadação com a venda de produtos serão revertidas para a reforma do terreiro.



terça-feira, 19 de maio de 2009

Festival Olhar Circular de Cultura Livre


O Coletivo Afro-Caeté foi convidado para integrar a mesa "A EMERGÊNCIA DAS MARGENS – REPENSANDO OS ESPAÇOS COLETIVOS" que ocorrerá no dia 25 de maio as 09hs30 no auditório da SEPLAN em frente ao Palácio do Governo Estadual.
Está atividade está inserida na programação do Festival Olhar Circular de Cultura Livre.
Para ver a programação completa do Festival clique aqui.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

terça-feira, 5 de maio de 2009

Parabéns Coletivo! Parabéns Família AfroCaeté!



Em pouco mais de dois meses de existência o Coletivo AfroCaeté tem demonstrado, em palavras e ações, para que veio. Garantir a participação da caravana dos artistas alagoanos na 23° Edição da Festa da Lavadeira deixaria Hércules cansado só de imaginar, afinal trabalhar com cultura popular em Alagoas ainda é um grande desafio. Mas aguerridos como somos honramos o compromisso assumido.
Evidente que não logramos êxito isolados. Agradecemos a todos os nossos parceiros e apoiadores que vincularam suas representações a nossa proposta de trabalho. Destacamos: Ao Site Aiégua, Secretaria de Turismo do Estado de Alagoas, Secretaria de Cultura do Estado de Alagoas, Secretaria de Comunicação do Estado de Alagoas, SMTT, Fundação Municipal de Ação Cultural da Cidade de Maceió, ao SESC-AL, PROEX e EDUFAL, ASFOPAL, FITS, a Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas, a Viviane Duarte, ao Eduardo Melo pelo convite, pela tenda disponibilizada e atenção, as Baianas Flor de Lis, ao Chau do Pife, ao Afoxé Odô Yá, aos que vieram conosco em excursão e a todos os artistas alagoanos que enviaram seu produto cultural. Aqui o nosso muito obrigado!
O trabalho apenas começou...

domingo, 26 de abril de 2009

Programação da 23º Festa da Lavadeira


"Homenagem a Dona Selma do Coco"
Praia do Paiva - 1° de Maio de 2009 – Cabo de Santo Agostinho-PE


Palco da Mata

10hs Cila do Coco e seus Pupilos
11hs Maracatu Nação Leão Coroado
12hs Afoxé Ilê Agbá
13hs Grupo Bongar
14hs Afoxé Oxum Pandá
15hs Caboclinho Canindé
16hs Dona Selma do Coco & Cocada
17hs Afoxé Alafin Oyó
18hs Aurinha do Coco
19hs Nação do Maracatu Porto Rico

Rua da Lavadeira

13hs Afoxé Filhos de Xangô
14hs Cavalo Marinho Boi Pintado e Bloco da Lavadeira
15hs Maracatu Nação Estrela Brilhante do Recife
16hs Afoxé Povo de Ogunté
17hs Maracatu Nação Estrela Brilhante de Igarassú
18hs Afoxé Odô Yá – AL

Palco do Mar

10hs Grupo Mazuca de Quixabá
11hs Pastoril do Veio Xaveco
12hs Cambina Brilhantes de Lucena - PB
13hs Rabequeiros M. Antonio, Zé Herminio e Boi de Reis
14hs Afoxé Ará Odé
15hs Familia Salustiano e a Rabeca Encantada
16hs Samba da Veio de Petrolina
17hs Baianas Flor de Lis – Orquestra de Tambores de Alagoas e Chau do Pife - AL
18hs Coco Chinelo de Iaiá
19hs Escola de Samba Galeria do Ritmo

Mapa dos Palcos

quinta-feira, 16 de abril de 2009

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Artistas Alagoanos que irão se apresentar na 23° edição da Festa da Lavadeira


Chau do Pife

José Prudente de Almeida, recebeu o apelido de Chau, quando adolescente, no município de Boca da Mata, interior de Alagoas, e ao começar a tocar o pífano ou pife, foi “batizado” de Chau do Pife, que há 35 anos descobriu o amor pelo instrumento.
Com 49 anos de idade. Casado, há quatorze anos, com três filhos, vive exclusivamente da música. “Não sei fazer outra coisa”. Chau toca hoje em um pífano que ele mesmo faz, de alumínio com sete furos.
A forma como Chau conheceu o pífano é no mínimo, diferente. O pai de Chau era agricultor em Boca da Mata e plantava feijão, mandioca e milho, e foi para proteger a plantação de milho dos pássaros que atacavam logo cedinho, que seu pai lhe deu um pífano de quatro furos para que ele “apitasse” para espantá-los. “E eu tinha que apitar muito, porque se ele pegasse algum milho comido, eu apanhava”, explica Chau. Então seu pai, com o tempo percebeu o interesse que ele tinha pelo “pedaço de cano” que ele furava, a taboca, e deu ao pequeno Chau um pife de seis furos para tocar. E assim começou a história musical de Chau do Pife.
Sua primeira apresentação foi numa feira em Atalaia, com 14 anos. Ganhava dinheiro com essas apresentações e ficava umas quatro semanas sem ir cortar cana, “um serviço muito ruim”, diz.
Música própria, ele só começou a fazer há 16 anos, quando tocava na banda “Forró e Xodó”.

Hoje, os músicos que tocam com Chau são normalmente: Irineu e Lula Sabiá (sanfonas); Xéxéu (Zabumba); Renato (triângulo) e Deda (baixo). Pois é, Chau do Pife é acompanhado por um trio de forró e um baixo, instrumento que conheceu nos tempos da banda “Forró e Xodó”. “Para quem tá vendo um show, pode não perceber, mas para a gente que tá no palco, o baixo é muito importante para apoiar a gente na música”, explica.
Vivendo exclusivamente da música, Chau busca inspiração para suas composições no seu dia-a-dia, das coisas que ele vê, o que o ajuda a batizá-las, como “Memória dos Pássaros”, música que dá nome ao seu primeiro CD e que tem em sua experiência de espantar pássaros uma inspiração. Em 2006, lançou seu segundo CD: Ninguém Anda Sozinho.Agora, Chau lançou recentemente seu primeiro CD ao vivo: Chau no Capricho, que faz parte da Coleção “Música Popular Alagoana” – Volume 3, e que reúne 6 músicas novas e seis dos CDs anteriores. Chau no Capricho tem a Direção Musical de Irineu Nicácio e Produção Executiva de Keyler Simões. A capa do CD é uma obra do artista visual Agélio Novaes, que tem seu trabalho desenvolvido com colagens: “A idéia dessa capa do CD de Chau, é passar o que ele me passa: alegria”, explica o artista. Chau no Capricho foi gravado em agosto de 2008 no Teatro de Arena Sérgio Cardoso, e lançado em dezembro do mesmo ano.

Orquestra de Tambores de Alagoas

Percutir tambores repercutindo misturas. A Orquestra de Tambores de Alagoas é uma sintonia de ritmos, cores, timbres e sentimentos. Através de uma intensa pesquisa das raízes rítmicas afro-brasileiras e das manifestações folclóricas, o grupo apresenta um verdadeiro resgate de valores da cultura do nordeste do Brasil, integrado a fragmentos da música contemporânea e efeitos sonoros experimentais.
Desde 1989, o músico, artesão e coordenador da orquestra, Wilson Santos, vem pesquisando os ritmos afro-brasileiros. Porém, nos últimos dois anos, passou a direcionar suas pesquisas para a influência destes ritmos nas manifestações folclóricas nordestinas.Dentro deste contexto, surgiu a Orquestra de Tambores de Alagoas, em novembro de 2004, a partir da união de percussionistas experientes e alunos das oficinas de percussão e confecção de instrumentos, ministradas por Wilson Santos.
Afoxé Odô Yá

Dança percussiva que trabalha o Candomblé como espetáculo informativo, juntando canto, música e dança. De origem iorubá, a palavra afoxé poderia ser traduzida como "a fala que faz". Para alguns pesquisadores seria uma forma diversa do maracatu. O termo Afoxé da África denota a festa profano-religiosa efetuada pela nação no momento oportuno.
Em Alagoas, o afoxé Adô Yá, ligado a casa de Iemanjá, hoje Ponto de Cultura Quilombo Cultural dos Orixás, surge com o Movimento cultural e Negro no final em 2002, com o objetivo de levar a cultura afro-descendente a toda população através dos meios de comunicação e resgatar a auto-estima afro-alagoana.


Baianas Flor de Lis

Segundo historiadores, as Baianas vêm de uma variação rural do Maracatu de Pernambuco, no sul do Estado eram chamadas de Samba de Matuto ou Bahianal e têm influências de Pastoril, vide os cordões Azul e Encarnado, acontecendo no Ciclo Natalino, de 25 de Dezembro a 6 de janeiro. Sofrem influência do Coco, nas formas musicais e pelos temas cotidianos que são cantados. A alegria da Música das Baianas é extremamente contagiante, segundo alguns autores o ritmo é chamado Pancada Motor. Elas foram uma forte tradição Alagoana, mas hoje existem apenas poucos grupos no Estado.
Os ritmos quentes e voluptuosos que acompanham cantos e danças das Baianas são: Abaianado, Pancada-motor, Marcha, Martelo de Baião. Recebem influências de emboladas, coco e cantoria de viola. Nesses ritmos as dançadoras cantam peças que narram temas circunstanciais, sentimentais, líricos e amorosos. O grupo Flor de Lis existe desde 2000, mas só há três anos está sob a coordenação de Dona Edna. A mestra é Dona Marluce e os ensaios acontecem no Centro Comunitário do Conj. Santo Eduardo na cidade de Maceió.

Fontes: Tudo Mais Alagoas e SECULT-AL

Coletivo AfroCaeté é Alagoas na 23º da Festa da Lavadeira. Venha Conosco!



Ouvindo a classe artística local interessada em divulgar seus trabalhos na festa, decidimos mudar o formato de recebimento dos produtos culturais. O processo não será mais de doação. O que for disponibilizado para a venda no stand do Coletivo, será revertido para o autor do produto. Basta pagar uma taxa simbólica, para viabilizarmos sua exposição. O que for vendido será repassado ao autor da obra.

Os valores das taxas são os seguintes:

· Para CDs e DVDs -> R$ 1,00 por unidade;
· Para livros -> R$ 2,00 por unidade;
· Para artesanatos, artes visuais, instrumentos musicais e esculturas -> R$ 5,00 por unidade;
· Para produtos não descritos nessa lista -> tratar com a comissão;


No que se refere a artesanato e artes visuais contaremos com a curadoria de Viviani Duarte (viviani_duarteacioli@yahoo.com.br)


Além disso, estamos organizando uma excursão com os que querem conhecer a Festa da Lavadeira para encher os olhos e a alma com a cultura popular nordestina e voltar para casa com uma experiência inesquecível. Entre em contato com Thalita Lima (82 8808-6648 / thathaulima@hotmail.com) e reserve já a sua vaga!

terça-feira, 31 de março de 2009

Coletivo AfroCaeté leva o SEU trabalho para a Lavadeira 2009


Clique na imagem para amplia-la*

O Coletivo AfroCaeté estará na 23ª edição do maior festival de ritmos do nordeste brasileiro, a FESTA DA LAVADEIRA. A convite de Eduardo Melo, Diretor Presidente da Associação Festa da Lavadeira Ação Cultural, o Coletivo estará levando consigo o que há de melhor da musicalidade tradicional alagoana. A Festa da lavadeira acontece todo 1º de maio desde 1987 na praia do Paiva, no Município do Cabo de Santo Agostinho-PE.

Além de organizar a caravana com os grupos artísticos que representarão Alagoas na programação do dia, o Coletivo AfroCaeté terá um stand de 25m² disponibilizado pela diretoria do evento com a responsabilidade de realizar o intercambio da arte produzida no estado com os demais artistas e produtores culturais da região presentes na Festa. Para isso, estaremos recebendo até o dia 25 de abril (sábado) produtos culturais, como CDs, DVDs, livros, quadros, pequenas esculturas e etc. Para doar seu produto cultural basta fazer o download do Termo de Doação no link que estamos disponibilizando logo abaixo e entregar, em duas vias, a qualquer membro da Coordenação de Comunicação do Coletivo, o qual tem seus contatos também disponibilizados. Reafirmamos que o material entregue será sob forma de doação e sem reembolso.

Para que possamos mostrar quão forte e aguerrida são nossas referências, tal qual o trupé de nossos folguedos que faz tremer o chão, sua colaboração faz-se imprescindível.
Colabore, divulgue, esta luta também é sua!

Somos Alagoano, somos AfroCaeté!

Baixe aqui o Termo de Doação

Coordenação de Comunicação:
Ábia Marpin: 8854-9382 / Christiano Barros: 8801-4265
Ernani Viana: 8878-1465 / Maria de Jesus: 3032-8943

Mais informações sobre a FESTA DA LAVADEIRA

A Festa da Lavadeira é Patrimônio do Povo de Pernambuco, Menção Honrosa pelo IPHAN como o melhor projeto da região nordeste de divulgação da cultura popular (1997-2008), em 2007 premiada pelo MinC na categoria projeto das culturas populares e considerada pelo público e imprensa como Tradição do Estado de Pernambuco.

O público atinge no evento o volume de cinqüenta mil pessoas, repercutindo e promovendo várias matérias espontâneas da imprensa em geral. Será documentada pela TV Bahia, para o programa Mosaico e pelo SBT para o programa Nordeste Mais, com transmissão para toda região Nordeste, além da cobertura local e documentação do evento para arquivo e registro das nossas manifestações culturais.

Outros Estados também estarão representados na 23ª da Festa da Lavadeira, são eles: Maranhão, Paraíba, Ceará e Bahia, além de Pernambuco.
Breve estaremos disponibilizando maiores informações sobre nossas ações referentes a Festa.
Para maiores detalhes:

http://www.festadalavadeira.com.br/

http://www.festadalavadeira.blogspot.com/

domingo, 22 de março de 2009

Iteral apoia mobilização em defesa da cultura afropopular


Foto de Sandreana Melo

O Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) é um dos parceiros do ato público que será realizado neste sábado, na praça Santa Tereza, no Vergel do Lago, a partir das 17 horas, para promover a valorização da cultura popular e afroalagoana. O ato também vai lembrar os onze anos da inclusão de Zumbi na galeria de heróis nacionais.
A mobilização, organizada pelos núcleos de cultura popular e pela Associação Cultural dos Folguedos da Zona Sul, vai alertar à sociedade e chamar a atenção dos gestores públicos para a necessidade de inclusão desses grupos nas festividades oficiais. Isso já ocorre em outros estados do Nordeste, como Bahia e Pernambuco.

Para o antropólogo Christiano Barros, membro do Coletivo AfroCaeté, nesses outros estados a cultura popular é valorizada e faz parte das festividades oficiais do lugar. “As pessoas são atraídas para conhecer essa cultura, inclusive os turistas. Em Alagoas, por outro lado, essas atividades culturais não têm espaço e não recebem a atenção merecida”, comenta o antropólogo.

Durante o ato, uma carta aberta cobrando melhorias para os bairros da Zona Sul – Vergel do Lago, Trapiche da Barra, Ponta Grossa, Prado e Levada – será distribuída aos participantes e ao público em geral. É esperada a presença de gestores públicos municipais e estaduais, além de moradores da região e diversos grupos culturais que irão se apresentar.
Os grupos culturais envolvidos no ato também estão elaborando um projeto sugerindo alternativas concretas para a valorização da cultura popular. Em breve, esse projeto será entregue a gestores públicos.
O ato tem o apoio das secretarias de Estado da Comunicação (Secom) e da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos,Fundação Municipal de Ação Cultural, Secretaria Municipal de Esportes, Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimento Socialde Combate à Criminalidade (MSCC) e Fórum Permanente pela Paz e pela Vida. Mais informações podem ser obtidas pelos telefones 8821-8086 e 8801-4265.


Diego Barros

Observações:
As secretarias da Mulher, da Cidadania, dos Direitos Humanos e a Secretaria Municipal de Esportes não apoiaram o referido evento, nesta etapa do projeto, conforme divulgado.

quinta-feira, 19 de março de 2009

O Coletivo AfroCaeté e o Quintal Cultural realizam mutirão para confecção de Tambores


O mutirão para confecção de tambores artesanais de som grave (alfaias) acontecerá todos os sábados no Quintal a partir do dia 21 até o ultimo sábado do mês março, dia 28, quando o Coletivo AfroCaeté e o Quintal Cultural com o apoio da Rede Cidadã realizarão a primeira oficina de confecção de tambores aberta ao público.

O mutirão e as oficinas surgiram da necessidade de tornar o batuque mais acessível. O fabrico artesanal dos tambores é uma característica de grupos populares de percussão como o maracatu. As atividades acontecerão no Quintal Cultural, Rua Sol Nascente, Bom Parto.


Emailcoletivoafrocaete@googlegroups.com

Grupo de Trabalho de Comunicação
Ábia Marpin: 8854-9382 / Christiano Barros: 8801-4265 / Ernani Viana: 8878-1465 / Maria de Jesus: 3032-8943

quarta-feira, 11 de março de 2009

O Coletivo AfroCaeté participa da realização de Ato Público



21 de Março – Ato Público
Pela Valorização da Cultura Popular e Afro Alagoana
Lembrando o Dia Internacional de Luta pela Eliminação do Racismo
e os 11 anos de Zumbi Herói Nacional‏


O Ato Público pela Valorização da Cultura Popular e Afro Alagoana, lembrando o Dia Internacional pela Eliminação do Racismo e os 11 anos em que Zumbi foi incluído na galeria de Herói Nacional, acontecerá no dia 21 de março, a partir das 17h, na Praça Santa Tereza, na Ponta Grossa.

O Ato é uma realização da Articulação pela Valorização da Cultura Popular e Afro Alagoana, do Núcleo Cultural da Zona Sul, da Associação dos Folguedos Populares da Zona Sul, do Núcleo de Cultura Afro Brasileira Iyá Ogun-té e do Coletivo AfroCaeté.

O Ato Público contará com aparticipação dos seguintes grupos:
1 – Banda Afro da Associação Pestalozi de Maceió; 2 – Grupo Teatral Sol Nascente (Quintal Cultural); 3 – Maculelê (Besourartes); 4 – Abadá Capoeira; 5 – Capoeira Quilombo; 6 – Dança dos Quilombos (Axé Zumbi); 7 - Núcleo Folclórico Boi Alagoano; 8 – Demis Santana e a Arca da Cultura Alagoana; 9 – Boi Excalibur (Quilombo Jacintinho); 10 – Dança Afro (Resistência Popular/Movimento Negro da Zona Sul); 11 – Afoxé Odô Iyá; 12 – Orquestra de Tambores de Alagoas

Informações:8821-8086 e 8801-4265
Participe e divulgue!

terça-feira, 10 de março de 2009

Coletivo AfroCaeté presente no II Seminário Laboratório de Estudos de Movimentos Étnicos




O Coletivo AfroCaeté estará coordenando mesa de discussão sobre cultura alagoana no II Seminário do LEME (Laboratório de Estudos de Movimentos Étnicos) realizado na Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Maceió, nos dias 7 a 9 de maio de 2009.

O Laboratório de Estudos de Movimentos Étnicos é um grupo de pesquisa registrado pelo CNPq, do qual fazem parte 33 professores de diversas universidades federais da região Nordeste do Brasil. O grupo pretender ser um espaço de interlocução e pesquisa para pesquisadores preocupados com os processos culturais de mobilização dos grupos étnicos da região Nordeste, tanto indígenas como quilombolas, suas formas de interação social e suas perspectivas de desenvolvimento.

Mesa 7 (15:00 – 17:00):
As dimensões da diversidade cultural alagoana.
Coordenação:
Coletivo AfroCaeté
Apresentações:
Refletindo sobre as margens: movimento cultural na periferia de Maceió. Edson Bezerra (UNEAL), Clébio Araújo (UNEAL), Célio Rodriques (Núcleo de Cultura Afro-Brasileira Lyá Ogun-Té) e Nonato Lopes (Núlceo Cultural da Zona Sul/Maceió)

A programação completa e maiores informações no Blog:

segunda-feira, 2 de março de 2009

Coletivo AfroCaeté


Somos da Terra de Alagoas.
Geografia onde ha mais de cinco séculos serve de palco para a dança da mistura étnica dos povos indígenas com os negros africanos, estes, transplantados de suas nações, vieram ombro a ombro com o colonizador europeu, trazendo consigo a raiva contida e a cultura ancestral.
Somos herdeiros dos gritos ecoados, sob a baioneta do opressor, no quilombo dos palmares, dos dizimados índios caetés e de centenas de outras etnias. Pairam em nossas cabeças o sentimento de justiça para com os terreiros quebrados em 1912, silenciando nossos maracatus, afoxés e capoeiras durante décadas.
Nossos marcos de origem sinalizam aquilo que somos. Nossa compreensão e nossos sentidos norteiam aquilo que queremos ser.
Traduzimos em nosso batuque as reminiscências ancestrais do além mar. Reafirmamos nossa “alagoanidade” perpassando pelas culturas populares, guardiã e hospedeira das tradições, articulados com as atuais manifestações estéticas urbanas.
Guerrilheiros Culturais. Nossa trincheira é a valorização e reprodução dos ritmos alagoanos e nosso patrimônio cultural, empunhando gonguês, alfaias, agogôs, xequerês e caixas de guerra, pois em tempos de luta soldados se convertem em oficiais.
Coletivo AfroCaeté é um grupo de amigos de diversas idades e profissões, amantes da cultura alagoana que tem como objetivo principal a valorização, reprodução e difusão das riquezas musicais de nosso estado. Articular em conjuntos com os demais setores artísticos e sociais ações e estratégias que exaltem o sentimento de pertencimento de nossos conterrâneos, voltando o olhar para nossas referências. Esta luta também é sua.

Somos alagoanos, somos AfroCaeté!


Comunicação:

Ábia Marpin - 8854 9382

Christiano Barros - 8801 4265

Ernani Viana - 8878 1465

Maria de Jesus - 30328943
←  Anterior Página inicial