quinta-feira, 25 de abril de 2013

Demis Santana e Coletivo AfroCaeté no Femufal


 
 "Reia, reia, reia, rei, reia, reia, reia, rei...! Um dia o cacique Tumbalalá (Curaçá-BA), perguntou porque que eu bebi a jurema, mas não pinotei o Toré. Respondi que achava que somente os índios podiam dançar o Toré. E ele rindo e me olhando nos olhos disse: 'Coitado do brasileiro que não é índio'. Seu Antônio, não dancei ou pinotei aquele Toré, mas cantei o mais lindo de todos que já ví e dedico isso à bravura e resistência do povo Tumbalalá!" 
Demis Santana

Festival de Música da Universidade Federal de Alagoas



 
 por Luana Costa
 
Ontem eu e o Coletivo AfroCaeté tivemos a oportunidade de concorrer na final do FEMUFAL 2013 e a felicidade de sermos contemplados com o 2º lugar no ranking geral com a música AGÔ, particularmente falando uma noite muito especial ainda mais por também ter ganho o prêmio de melhor intérprete.

A alegria de estar no palco de um festival como este, junto com o meu Coletivo AfroCaeté, levando o nome das nossas raízes e da nossa irmandade Coletiva, simplesmente me renovou desde a primeira etapa lá em Arapiraca.

Saber que ouvidos que nunca sonharam nos escutar não só nos escutaram como também vibraram ao som do nosso tambor, me lavou num mar de orgulho de ser o que sou e de representar o que venho representando, propagando e assumindo todo santo dia.

Tem axé nas minhas palavras, tem amor em tudo que faço porque se não for por amor, não tem porque ser...

Só tenho a agradecer a todos os que acreditaram que daria certo, que abraçaram realmente a filosofia Coletiva, aos que estiveram ontem no teatro Gustavo Leite e que me cercaram de tanto carinho.

Foi uma noite linda, junto com os irmãos que a vida me proporcionou e sendo presenteada com o reconhecimento de um trabalho de dedicação e amor que já vem sendo executado a anos e anos...

Sandro Santana, meu irmão... muito obrigada pela mão amiga de sempre, por ter acreditado em mim nos dias em que o que eu mais precisava era de um voto de confiança.

No mais...Só devo dizer que estou muito feliz com tudo isso e consciente de que é só um inicio, não foi Luana Costa quem ganhou ontem, foram as nossas idéias.

Obrigada mais uma vez Coletivo e vamos que vamos que o que é nosso não está guardado, busquemos! rs

Vivamos a Coletividade!

Axé, axé e axé!

Luana Costa, a voz negra de Alagoas



 por Carlos Martins 

A música negra ganha uma representante em Alagoas. Luana Costa. Dona de uma vóz poderosa e marcante que lembra a cantora baiana Margareth Menezes e com uma presença de palco de roubar a atenção para ela.

Sua postura e desenvoltura lhe rendeu o prêmio de melhor interprete na última etapa do 4º Festival de Música da Universidade Federal de Alagoas (4º FEMUFAL), realizado no Centro Cultural e de Exposições em Maceió, em 24/04/13, e a posição de segundo lugar com a música de sua autoria intitulada Agô, que em yorubá significa licença.

Com humildade Luana pediu permissão para entrar no palco, mas nele mostrou uma grandeza que se agigantava a cada verso entoado ao som pulsante dos tambores do Afrocaeté.

Com uma apresentação tomada por uma energia sobrenatural ela arrancou aplausos e a boa impressão do público que já pressentia algo diferente acontecendo. Acompanhada de um coro de vozes de um coletivo Luana se mostrava ainda mais segura de si.
O anuncio de sua escolha, como melhor interprete e segunda melhor música do festival, por um grupo de jurados técnicos conhecedores de música, produtores musicais e cantores já consagrados da música alagoana levou a plateia ao delírio com um clima de "eu já sabia" no ar.

Ao receber os prêmios dedicou ao grupo que a projetou como cantora e percussionista, o Afrocaeté. Um grupo formado por um coletivo de pessoas que com muito amor produz música de qualidade e que mistura ritimos da musicalidade negra tendo o maracatu como elemento cultural de base.

A música negra em Alagoas não está mais órfã.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Oficina de Iniciação ao Maracatu...!



O Coletivo AfroCaeté realizará oficina de maracatu nos dias 6 e 7 de Abril de 2013.
Fundado em 10 fevereiro de 2009 e com sede no bairro do Jaraguá, em Maceió (AL), o Coletivo AfroCaeté vem coordenando ações e desenvolvendo estratégias de valorização da cultura popular e negra. O objetivo do trabalho do grupo é o fomento e difusão de valores da cultura popular e afro-alagoana como alternativa para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.
A oficina será realizada nos dias 6 e 7 de abril de 2013. No dia 6, sábado (14h às 18h), e dia 7, domingo (9h às 12h e das 14h às 18h). E será coordenada pelo percussionista e mestre do grupo Sandro Santana. A taxa de inscrição é de R$ 20,00.
A sede do grupo está localizada na Rua Barão de Jaraguá, 381, Jaraguá (Próx. a Praça 2 Leões e em frente a Papelaria). O AfroCaeté se reúne todos os domingos, às 15h.
As inscrições podem ser feitas aqui.
Mais informações: 9939-4974 (Ticiane) / 8845-4068 (Chris)

terça-feira, 2 de abril de 2013

ACENDA UMA VELA... Coletivo AfroCaeté!



Sessão de cinema ao ar livre, exibindo produções audiovisuais alagoanas, e muita música com o batuque do Coletivo AfroCaeté e discotecagem do Popfuzz Coletivo!

 



SÁBADO (06/04), AS 19H.
Em MACEIÓ, na praia de Ponta Verde, próximo ao Alagoinha.
 

ABERTO AO PÚBLICO

ACENDA UMA VELA (6ª edição)
Realização: Ideário
Apoio: Algás
Patrocínio: BNDES, BNB e Governo Federal
Apoio Cultural: Instituto Zumbi dos Palmares

Parceiros locais:
Coletivo Afrocaeté
Popfuzz Coletivo
Sococo
FMAC / Prefeitura de Maceió



Mais informações:
www.ideario.org.br

←  Anterior Proxima  → Página inicial