quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Patrimônios Vivos de Alagoas!


Foi publicado no diário oficial desta quinta-feira (04), a resolução do Conselho Estadual de Cultura aprovando a seleção dos candidatos ao Registro do Patrimônio Vivo de Alagoas. Como prevê a lei, excepcionalmente nos anos de 2010 e 2011 foram abertas oito vagas e, nos anos seguintes, serão apenas cinco vagas. Constam na resolução, 11 nomes em decorrência do falecimento de três mestres no ano passado.

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult) recebeu 42 inscrições para selecionar apenas 11. Esses Patrimônios Vivos têm como benefício uma bolsa de incentivo vitalícia de 1,5 salário mínimo. Segundo o secretário de Estado da Cultura, Osvaldo Viégas, esta bolsa visa a manutenção dos grupos e o repasse dos conhecimentos.

Foram selecionados como Patrimônios Vivos de Alagoas, o cordelista Jorge Calheiros, a rezadeira e parteira Anézia Maria da Conceição, o artesão do barro João das Alagoas, os mestres de guerreiro Artur Moraes dos Santos e André Joaquim dos Santos, a bonequeira Maria de Lourdes Menezes, a rainha e coordenadora de guerreiro Anadeje Morais da Silva, o mestre de reisado Expedito Tavares dos Santos, o violeiro, tovador e cordelista João Pereira Lima, o violeiro e repentista Severino João da Silva, o Jaçanã e a Ialorixá Mãe Neide.

Segundo a presidente da Associação dos Folguedos Populares de Alagoas, esta decisão do Conselho é muito importante para o reconhecimento no âmbito da cultura popular, principalmente pela diversidade da escolha.

Todos os anos a Secult lança este edital para a seleção de novos mestres. É constituída uma comissão especial de avaliação que seleciona os candidatos, de acordo com os critérios previstos em edital.

Os candidatos deveriam ser brasileiros e com conhecimentos ou técnicas necessárias para a produção e a preservação de aspectos da cultura tradicional ou popular de uma comunidade estabelecida em Alagoas. Que atue nas áreas das Danças e Folguedos, Literatura Oral e/ou escrita, Gastronomia, Música, Teatro, Artesanato, dentre outras.

Os candidatos deveriam ter no mínimo 20 anos de participação em atividades culturais, contados da data do pedido de inscrição, além de residirem no Estado pelo mesmo período. Além de estar capacitado para transmitir seus conhecimentos ou suas técnicas à sociedade, de forma presencial e/ou por intermédio dos mais diversos meios de comunicação.

Fonte:Mirella Costa/Secult
GOOGLE +
←  Anterior Proxima  → Página inicial

0 comentários: